O que é Health Data Analytics?

Vemos uma mudança mundial no cenário da saúde: está surgindo uma demanda cada vez maior por análise de dados nessa área. 

Essa crescente demanda vem do grande desafio de gerenciamento dessa área. Por se tratar de um mercado muito custoso, há uma real necessidade de oferecer serviços cada vez mais eficazes, a fim de reduzir as ineficiências operacionais e proporcionar uma experiência mais satisfatória, tanto para os profissionais quanto para os pacientes.

Afinal, o que é Health Data Analytics?

Health Data Analytics, também conhecida como análise de dados clínicos ou de saúde, envolve a coleta e análise de informações acionáveis ​​a partir de conjuntos de dados gerados pelos pacientes, geralmente coletados através registros eletrônicos. Através dessa coleta e análise de dados e fazendo associações e correlações é possível a geração de insights, ações e soluções muito mais assertivas para tratar a saúde dos beneficiários.

Em outras palavras: se processa os dados do paciente, junto com anotações clínicas e exames. Encontram-se correlações, associações de sintomas, antecedentes familiares, hábitos, doenças e, em seguida, são gerados diagnósticos e ações de prevenção para os pacientes, antes mesmo que comecem a desenvolver a doença.

A análise tradicional, feita de forma manual, baseada em declarações e prontuários não é capaz de analisar e resolver problemas, nem cuidar da saúde de um grande volume de pacientes. 

Com a enorme quantidade de dados clínicos disponíveis, é compreensível o porquê dessa metodologia estar crescendo tanto.

Como essa tecnologia pode ajudar a desenvolver a área da saúde?

Para que os planos de saúde consigam gerenciar o relacionamento com seu beneficiário de forma personalizada e em escala, é necessário utilizar novas tecnologias, principalmente, a análise de dados. Apenas dessa forma é possível fazer a gestão da jornada do paciente de forma completa, desde a central de relacionamento, até o atendimento clínico.

Para as empresas prestadoras de saúde, cuidar da prevenção de doenças é mais barato do que tratar a doença posteriormente. E para o paciente, é muito melhor tratar a saúde do que tentar curar a doença.

A área da saúde finalmente começa a entender as demandas do novo consumidor e passa a utilizar dados a fim de trabalhar de forma preventiva, tratando de fato a saúde dos beneficiários, e não a doença.

A tecnologia de análise de grandes volumes de dados já vem mostrando resultados em grandes prestadores de saúde e seguradoras. Por exemplo, um plano de saúde pode mensurar todas as idas de um paciente a um Pronto Socorro (PS). Se a análise de dados é bem feita, essa ida recorrente ao PS pode disparar um alerta para um médico especialista analisar o caso, e também um alerta para o paciente, a fim de agendar um atendimento de emergência com esse médico especialista. 

Após receber o atendimento personalizado, o paciente recebe o diagnóstico de uma doença crítica, mas que, por estar em estágio inicial pode receber um tratamento adequado e eficiente.

Essa história é um caso real e mostra como o uso de dados de forma proativa e a boa gestão da jornada do beneficiário podem, além de salvar vidas, reduzir custos de tratamentos e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Análise de dados na medicina preventiva

“Percebemos que a área da saúde tem muitas oportunidades para a análise de dados, isso porque muitos dos dados já são registrados e armazenados, mas ainda não são utilizados de forma assertiva a fim de gerar ações preventivas nos beneficiários. É preciso começar a utilizar os dados de forma acionável”, explica Mateus Pestana, CEO e cofundador da SenseData.

O aumento da expectativa de vida do brasileiro, que chegou a 76,3 anos em 2019, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que, cada vez mais, as pessoas estão preocupadas com prevenção e promoção da saúde.

Ações proativas do Plano de Saúde reduzem as custosas idas do paciente ao Pronto Socorro. Além disso, ao identificar a doença ainda em estágio inicial, é possível evitar gastos com internações ou cirurgias. Isso prova que o investimento em tecnologia e análise de dados é uma forma de reduzir custos e aumentar a qualidade de vida e melhorar a experiência dos beneficiários.

Futuro do Health Data Analytics

De acordo com um relatório da Research and Markets, o mercado mundial de análise de dados na área da saúde terá um valor de 34,27 bilhões de dólares até o final de 2022.

Em algumas cidades, como Cambridge e Londres, já existem cursos de pós-graduação em Health Data Science nas universidades. Um ponto curioso é que esses cursos estão vinculados a área da saúde e não a de exatas, uma vez que é necessário ter um conhecimento técnico e especializado para interpretar esses dados.

Como já dito anteriormente, a saúde está mudando, novas tecnologias estão surgindo, trazendo melhorias, maior eficiência e remodelando a indústria.

Conclusão

As ferramentas de análise de dados garantem a integração de diferentes fontes, elementos e materiais. O uso dessas tecnologias nos processos de tratamento e prevenção pode ajudar as organizações de saúde a alcançarem resultados progressivos e escaláveis.

Health Data Analytics é um mercado que só tende a crescer à medida que a área da saúde começa a entender que a análise de dados de maneira acionável traz benefícios para todos: melhora a qualidade de vida dos pacientes e a qualidade das condições de trabalho dos médicos, e reduz custos de tratamentos e despesas por parte das empresas.

O potencial de revolucionar a medicina moderna é enorme e o que falamos nesse artigo é apenas uma parte do que a análise de dados pode realizar.

Quer saber como a Plataforma SenseData pode te ajudar nesse desafio de análise de dados de saúde? Entre em contato conosco por meio deste link.

Deixe uma resposta