Dados na área da saúde: entenda o conceito de Health Data Analytics

A transformação digital mudou a maneira como consumimos música, nos alimentamos, nos entretemos e, por que não mudar a maneira como nos relacionamos com a nossa saúde?

Neste cenário impulsionado pela pandemia, à medida que a área da saúde começa a entender que a análise de dados de maneira acionável traz benefícios para todos, surge o conceito de Health Data Analytics como um poderoso ativo às instituições da Medicina Preventiva.

Para entender o impacto da transformação digital neste setor, convidamos duas empresas que estão revolucionando a relação entre pacientes, médicos e beneficiários: Prevent Senior e a MEMED.

Mas, antes de entrarmos nos principais insights do Webinar Health Data Analytics: o que é essa tecnologia e como ela pode desenvolver a área da saúde, queremos ressaltar que você pode assistir a esse e outros conteúdos relacionados a Dados Acionáveis, Customer Success e Transformação Digital, de maneira gratuita, em nosso canal do YouTube.

Boa leitura!

Decisões Data Driven: como utilizar dados na área da saúde pode melhorar a vida de todos nós?

O impacto da transformação digital na área da saúde significa inovar nos mais diferentes processos, desde a prevenção até o desenvolvimento de tratamentos cada vez mais individualizados, pensados para cada paciente.

De acordo com Cláudia Lopes, Head das Especialidades Médicas e dos Programas de Monitoramento de Pacientes Complexos da Prevent Senior, com o uso da tecnologia e do monitoramento e análise de dados acionáveis, estamos começando de fato, a entender a saúde e não a doença.

Essa mudança pode ser vista muito claramente analisando o case Memed: A  HealthTech tem como core business a prescrição médica digital, revolucionando um cenário em que tudo era feito com papel e de maneira muito complexa para transformar em dados.

Quando a empresa começou a digitalizar esses documentos, conseguiram monitorar e qualificar a informação de ponta a ponta. Como aponta Fábio Tabalipa, Head de Inteligência Clínica,  uma pesquisa realizada pela empresa, demonstrou que a prescrição de determinados medicamentos, que poderiam ser utilizados para o tratamento do COVID-19, tinham uma correlação muito alta com o número de casos de Covid daquela região.

Esses dados e correlações os levaram a pensar como detectar surtos de casos quando eles ainda estão acontecendo, em algumas localidades, e notificar os órgãos competentes e a vigilância epidemiológica.

Embora esse estudo ainda esteja em curso, a empresa está perseguindo esses conhecimentos para entender como os dados de medicamentos podem antecipar e ajudar ao combate de doenças e surtos epidemiológicos.

Já, quando olhamos para a Prevent Senior,  a utilização de dados acionáveis é pensada para procurar insights e padrões sobre como viabilizar a prevenção de doenças ou antecipar alguma necessidade na vida do paciente.

Dentro de suas operações e por meio desses insights, a empresa busca a customização do cuidado com seus pacientes, dividindo-os em subgrupos, proporcionando ferramentas de saúde, diagnósticos terapêuticos específicos e que façam sentido para cada grupo em questão. E assim, os dados ajudam a encontrar o padrão mais assertivo e passível de uma melhoria efetiva na vida desses pacientes. 

LGPD: é imperativo, ao lidar com dados acionáveis, ser guiado por essa lei

Ao longo do webinar, por diversas vezes as empresas ressaltaram a necessidade de ser 100% responsável com os dados do cliente.  A Lei Geral de Proteção de Dados demanda esforços para garantir a proteção e segurança de dados pessoais e sensíveis no Brasil.

Na MEMED, assim como na Prevent Senior, todo dado que é enviado para o time de analytics é anonimizado, respeitando assim todos os dados sensíveis dos pacientes.

Se você quer compreender melhor sobre LGPD e como incorporá-la aos seus dados, clique aqui.

Transformação Digital e seus benefícios para a humanização do atendimento

Muitas pessoas temem que a digitalização e a tecnologia sejam antagônicas ao atendimento humanizado, contudo, percebemos nas falas de nossos convidados que, o acesso às análises e dados ajudam os médicos a tomarem melhores decisões e se dedicarem com mais atenção aos seus pacientes.

Para entender mais sobre esse tópico, Fábio Tabalipa indicou o livro Deep Medicine do pesquisador Erick Topol que aborda como a inteligência artificial vai transformar a medicina e humanizar ainda mais os relacionamentos.

Indicador sem ação é Ilusão

Um tópico de extrema relevância abordado no  webinar foi a importância de atrelar dados à ações. Mais do que monitorar e interpretar  dados é necessário ter ações, playbooks e réguas de comunicação muito bem definidas para que os dados se transformem em resultados.

De acordo com Felipe Padovani, responsável pela Expansão Nacional na Prevent Senior, analisar dados é apenas a ponta do iceberg, por trás disso existe um desencadear de ações, programações de atividades e  comunicações que devem, de fato, ser o caminho do beneficiário a partir do momento em que fazemos a sua segmentação.

Quem eu vou priorizar? Em quais pacientes eu vou atuar agora? Qual é o momento correto? Isso é a orquestração correta da jornada do beneficiário, utilizando seus dados a favor de si próprio, provendo prevenção e melhorias em sua qualidade de vida. Ação certa, no beneficiário correto, no momento mais adequado.

A SenseData pode ajudar a sua empresa neste desafio de análise de dados na área de saúde e da Orquestração da Jornada de Pacientes. Solicite sua demonstração gratuita, aqui.

Esses foram os principais insights gerados no Webinar da Prevent Senior com a MEMED. Para conferir mais detalhes sobre as empresas e como dados acionáveis podem ajudar a desenvolver a área da saúde, assista ao conteúdo na íntegra!

Deixe um comentário